Com o objetivo de conhecer melhor as práticas de fertilização em pinheiro-bravo mais usuais em Portugal, o Centro PINUS  promoveu de 31 de julho a 20 setembro de 2020 um questionário dirigido a técnicos sobre o tema.

De seguida encontra-se um resumo dos principais resultados, estando o relatório completo disponível aqui.

  1. Na maioria das situações não é praticada fertilização, que é realizada de forma frequente, na instalação, por 33% dos técnicos que responderam.
  2. A decisão de fertilizar (ou não) é geralmente suportada por experiência empírica.
  3. O tipo de adubação à instalação mais frequente é com a formulação NPK, à cova, com 20 a 50 g por planta.
  4. A prática de correção do pH é incomum.
  5. A fertilização ao longo do ciclo é praticada ocasionalmente por 21% dos técnicos que responderam.

Agradecemos o apoio de todos os que participaram divulgando e/ou respondendo a este inquérito.

 

Pin It on Pinterest

Share This